quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

E continua, a vida.

Ela chegou com três grandes malas, ele abriu a porta.
Um grande abraço seguido de um daqueles beijos de tirar o fôlego.
A partir daquele dia essa casa seria deles. A história que tinha começado como um filme americano não podia ser mais perfeita. Afinal, ela tinha esperado tanto por aquele momento, ficara zelando por ele enquanto ele foi de outra, esteve ao seu lado quando ele decidiu se separar, quando ele teve suas dúvidas, suas outras mulheres. Até que finalmente ele se tornou dela.
E agora ela já fazia parte da vida dele, com todas as forças que tinha. Já aspiravam coisas parecidas, já sonhavam sonhos juntos, mas agora o ar que respiravam seria o mesmo. Ele já não tinha mais aquelas fotos antigas na sala, ela trocou os retratos, colocou flores.
Os lençóis dela couberam na cama grande, no banheiro as toalhas lado a lado. No armário as roupas se misturaram como naquela música do Tom e do Chico, onde o paletó enlaça o vestido...
Ela sente o cansaço amigo, o torpor conhecido junto ao corpo quente daquele que ela tanto esperou. Com a mão no ventre, olha para a curva da barriga que já começa a aparecer. Fecha os olhos e pensa que não poderia ser mais feliz.



O tempo passou, eu sei. Mas você ainda não passou dentro de mim.
É assim que imagino sua vida hoje. Com ela.

8 comentários:

adaobraga disse...

Com a mão no ventre ... a barriga começa a aparecer...

uma gravidez?

Pode abrir os olhos agora!

a calma alma má disse...

=>Adão: não se preocupe, é ficção, por enquanto. :/

Iara disse...

nao entendi.
Voce ta esperando um bebê?
Eu quero um, primeiro quero ter um marido...
Ou voce voltou com seu ex?

a calma alma má disse...

=> Iarinha querida... é apenas um texto de ficção. Às vezes escrevo assim, coisas que saem da minha alma e viram palavras... apenas palavras...

Anna Bueno disse...

Hum...Ai ai aii...vc ta grávida? Não to entendendo nada. rsrs
Bjos!

Jesus Apocrifo disse...

É improvável que todos mintam seus sentimentos no Natal. É improvável que todos que detestem o Natal finjam gostar do Natal. E ainda que ajam assim, é prova que neste período as pessoas de alguma maneira agem de forma diferente. Existem os aproveitadores, os oportunistas. Todos sabemos que existem, mas, não vamos deixar de aproveitar tantas outras maneiras de viver esta época de forma brilhante e oportuna.

Feliz Natal Filha

Paola disse...

que conto lindo alma. *orgulho*
adorei.
voltei e será um rato.
besos.

. disse...

passei pra desejar um bom dois mil inove.