segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Sobre amanhã.

Conheço gente que adora fazer aniversário, comemorar com festa animada, cheia de gente. Queria ser assim.
Tenho vergonha de fazer aniversário. E não dessa vergonha prima-irmã da timidez. É dessas que faz a gente querer achar um bom buraco pra se esconder.
Tenho vergonha de não ter a festa cheia de gente, de não receber ligações e mil mensagens desejando coisas boas até da amiga do prézinho. Fico cheia de medo que descubram que eu sou tão sozinha e que não comemoro aniversário porque a minha mesa vai ficar vazia.
Confesso que faço uma preparação, escolho a roupa, a lingerie, a cor do batom, o perfume. Me arrumo diferente. Às vezes até compro flores pra mim mesma: rosas. Mas isso tudo nem por decreto eu confesso.
Em resumo, conto uma boa desculpa, digo que tô ficando velha e que ano que vem eu faço alguma coisa. Mas a verdade mesmo é que eu escondo que fui deixando os laços pelo caminho e que no fundo tudo o que eu queria era ser aquela... que faz festa animada e cheia de gente.

2 comentários:

Adao Braga disse...

Você é assim ou se transformou-se assim? Seja como for, esta é você como é!

Beijos!

Iara disse...

Eu sempre me pergunto se no dia de minha morte terá gente suficiente para carregar meu caixão...