sábado, 24 de janeiro de 2009

Bagunça

Passo muito do meu tempo tentando deixar a vida organizada.
Arrumando a casa e a casa interna.
Não sou um primor no quesito organização. Mas tenho minha ordem própria.
Tenho minhas gavetas que fechadas escondem uma certa desordem saudável.
Me acho nesse sistema. Funciona bem e acho que dá pra classificar de normalidade.
Assim é também internamente, nas gavetinhas do coração, da alma, da cabeça.
Só que hoje as casas estão fora do lugar. Passou um vendaval aqui e deixou tudo fora do lugar.
Alguém esvaziou as gavetas no chão, espalhou tudo pela casa e não posso encontrar mais nada.
Andei pelos cômodos procurando e procurando e não acho, juntei algumas coisas, ensaiei a arrumação e sentei novamente com lágrimas nas faces.
Repeti esse ritual algumas vezes não encontro o fio que desenrola esse novelo.
Sim, meu coração partido continua vazio e hoje não sabe porque ainda tem tanta dor..
Meu medo do futuro encolheu-se de medo do tamanho que tomou a minha descrença nas pessoas e no mal que elas são capazes de fazer...
Eu passo os dias tentando arrumar, melhorar e facilitar a vida das pessoas e ainda, não cometer os mesmos erros.
E hoje, está tão desarrumado, tão difícil que eu nem sei se quero continuar. Não sei se quero ou se consigo tentar não cometar os mesmos erros.
Acho que não consigo mais achar as gavetinhas e arrumar essa bagunça.
Tá tudo tão fora do lugar... como isso foi ficar assim?

8 comentários:

adaobraga disse...

"... minha descrença nas pessoas e no mal que elas são capazes de fazer."

Não somos todos iguais!

Anna Bueno disse...

Eiiii...Force-se e arrume tudo, nem que seja devagar. Eu estou nesse processo e garanto a vc que vale a pena.
Bjos e boa sorte!

Murdock disse...

Ah, no meu quarto reina essa bagunça arrumada e dentro de mim está tudo arrumado também. Já recuperei tudo depois do último furacão que passou.

Insolente disse...

o blog tá ótimo, esse mar aí em cime inspira, hum?!
estar desiludida é uma desilusão enorme...
"como isso foi ficar assim?"
a pergunta que não cala.
bjos

Priscila disse...

Descobri teu blog por um acaso. E como em identifiquei com ele. Tambem sou separada e muitas vezes sinto a mesma dor que vc.
Mas eu acredito no tempo e acredito que o tempo cura todas as "doenças".

Abraços,

Insolente disse...

presentinho =)
dá uma passadinha no insolente
bjoos

Beth disse...

O foda de dividir o espaço com alguém é arrumar a minha bagunça e a dele também.
Hoje, apenas hoje, arrumei a roupa que lavei e mandei passar e que levei para Porto Seguro. Putz...uma zona!!!!


Bjs


PS: T mandei um e-mail...vc recebeu ??

Beth disse...

Vixi...
Esquece sobre o e-mail...mandei para a Ká, a Rainha do Devaneio...troquei as bolas.

Bjs