sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Ser boa não dá ibope

Na Revista Veja desta semana saiu uma matéria falando sobre as heroínas das novelas. A matéria dizia que as moçoilas boazinhas não estavam dando ibope e, portanto, precisaram passar por uma reforma. A mocinha da novela das seis, de passiva e frágil, tornou-se dissimulada e vingativa. A dócil dona-de-casa da novela das sete quebrou a cara e a casa da rival. E a novela das oito então? A gêmea boa teve que virar gêmea não tão boa porque a gêmea má era melhor que a gêmea boa. O que tudo isso quer dizer?
Quer dizer que hoje você só é legal quando não é legal. Que você só tem valor quando não leva desaforo pra casa! Quando dá o troco, quando fala mais alto, quando não deixa por menos, quando põe a pessoa no lugar dela e por aí vai....
Sabe, não tem nada a ver com deixar os outros passarem por cima, não ter amor-próprio, nada disso. Mas essa coisa de achar bonito ser mais esperto, mais malvado, mais agressivo, tem-me feito muito mal. Parece que o tempo todo a gente tem que ficar se defendendo, enquanto as outras pessoas ficam fazendo apologia de o quanto são melhores e mais “espertas”. Tenho ficado triste. Quem nunca ouviu aquela célebre frase? Good girls go to heaven, bad girls go everywhere. Aposto que todo mundo já pensou nisso um dia e achou o máximo...
Qual o problema em não querer levar vantagem em tudo, não querer entrar em todas as brigas, não querer ser a mais esperta, a mais malvada? Qual o problema com ser uma pessoa legal, pacífica, do bem?


http://veja.abril.com.br/290807/p_142.shtml

7 comentários:

Leticia disse...

O problema é o mundo competitivo atual.E olha ninguém é bom ou mau simplesmente,...há mais coisas aí.
Vamos tentar o equilíbrio, até pq maladade só gera mais maldade e bondade demais enjoa.

Fabiana disse...

Ser legal não tem graça né?
Mas eu prefiro ser sem graça.
bj

Júlio disse...

Parece que a tv vai ser o reflexo da sociedade onde a gente vive. Ela vai reproduzir tudo. E como uma coisa gera a outra ... o ciclo vai sempre se repetir.

Fique triste não. A gente está aqui.

AndreM disse...

Tradução para quem não lê inglês:
"A garotas boazinhas vão pro Céu, as nem tanto vão a qualquer lugar!"

AndreM disse...

1) Depende da atriz (de como ela atua, interpreta e de sua empatia natural com o público) e principalmente do autor da história (de como ele desenha a protagonista "boazinha" da novela e que história ele quer contar).

2) Se a boazinha for também lindona e gostosíssima, dá um enorme ibope entre os homens, noveleiros ou não...

3) Acho que tem um "quê" de cultura carioca aí, berço das novelas globais, e essa necessidade social e talvez inconsciente de se fazer mais "experto" do que o "mais experto"... Sendo assim, as novelas não têm porquê ser diferente, mas isto não quer dizer que o que se passa ali reflete a realidade brasileira.

Ana Paula disse...

Olha, tenho me lembrado ultimamente de uma frase que meu ex-marido (delicado como minha pele...) costumava me dizer... "Vc é muito boazinha. Boazinha só toma no c...". não é que é verdade?
Triste, mas verdadeiro. Não temos que ser más... Mas precisamos aprender a deixar de lado a inocência. Sermos boas mas estarmos prontas para revidar. Quando eu tinha 5 anos, cheguei em casa chorando pq um menino tinha me batido na escola. Minha mãe me falou que se eu chegasse chorando de novo pq apanhei e não revidei, ia apanhar de novo. Quando disse que ele era maior que eu, ela me disse "Taca o sapto e sai correndo!". e é isso que eu venho tentando fazer até hj... Me defender... Não atacar, não querer levar vantagem, não ter vontade de brigar, não ser má. Mas me defender.

Osc@r Luiz disse...

Ser boa dá ibope sim.
Depende de qual público quer atingir.
Beijo!