segunda-feira, 14 de abril de 2008

Insight

Rudes
As palavras
Sem romance
Sem rodeios
Timidez fingida
Vontades cruas
Desejo latente
Sem carinhos, sem trocas
Me entregas
Teu corpo.
Me escondes
Tua alma.

Que foi que vi no teu jeito?
Eu, menina dos liláses, mulher de detalhes.
Que porto é esse?
Sem âncora, sem amarras, sem partidas e sem chegadas.
Por que tanta euforia?
Pra quê tanta saudade?

Bem sei agora, por que me prendes aqui.
Tudo o que amei outrora,
É o que não encontro ti.

9 comentários:

Caleydoscope Eyes disse...

Calma alma má, esse poema é lindo, e olha que não sou a maior apreciadora de poesia...

Renata disse...

lindo...

Tudo ou nada ... disse...

"Bem sei agora, por que me prendes aqui.
Tudo o que amei outrora,
É o que não encontro ti."

Lindooooooo
Bjos

Laís* disse...

!!!!!
cadê vc que eu conhecia...e tudo q eu amava?!
inspirador!!!

Iara disse...

Pena que o amor não pode ser do jeito que a gente quer.

Clarice Lis disse...

alminha! só para dizer que estive aqui.

Marina Mah disse...

Cara "Menina dos lilases, mulher dos detalhes",
é um prazer passear por estas suas palavras tristes, porém tão identificantes.
Adoro ler-me nas palavras dos outros.
Se me permites, virei mais vezes e "linkarei-a" entre os "eus... de outros...", meus favoritos.
Grande abraço.

Kagahn disse...

See Please Here

Paola disse...

Amore, que lindo isso!
Estou melhor do que antes.
Você falou de uma coisa que aconteceu comigo...
Não clica no comentário acima, pois é vírus.
Fica bem!
Beijos